Top 10 melhores mangás lançados no Brasil em 2018

Hora das listinhas de fim/começo de ano!!

2018 foi o ano que eu tirei pra voltar a colecionar mangás publicados no Brasil. Eu compro desde Dragon Ball meio tanko da Conrad, mas nunca em quantidade muito grande. No ano passado, eu adquiri vários títulos e acabei mais lendo do que assistindo animes. Se não me engano, eu estava há uns 2 ou 3 anos sem comprar absolutamente nada, por conta disso fui um dos tristes felizardos a perder as edições #13 e #19 de Berserk, haha. Nessa semana eu finalmente consegui o volume #13 porque houve o milagre da reimpressão pela Panini. Só me resta o #19!! Por outro lado, também tive uma sorte dos infernos em conseguir achar uma pessoa de bom coração vendendo Monster #2 no Mercado Livre pelo preço de capa. A volta às compras ainda me permitiu conseguir completar coleções pendentes, vide Dragon Ball, 20th Century Boys, Sora no Otoshimono, Shingeki no Kyojin, Vinland Saga, Sankarea etc. Além de começar algumas antes dos volumes iniciais sumirem do mercado quase que pra sempre, como Lobo Solitário, Vagabond, entre outros. Perceberam uma coincidência? Sim, tudo da Panini… Por que será, né?

Bom, como voltei com força pras leituras de mangás publicados no Brasil, pude criar uma listinha dessas. Alguns mangás lançados eu não consegui ler ou não me interessei em comprar, portanto essa lista contém apenas os melhores mangás lançados em 2018 entre os que eu li, apenas a minha humilde e modesta opinião. Talvez eu tenha esquecido de um ou outro, mas daí vocês podem me avisar nos comentários, assim como botar os favoritos de vocês também. Existem alguns que saíram em dezembro e eu ainda não comprei porque colecionar mangás é caro, né, gente. Entre eles eu já conheço certos títulos, pois li parte das obras por scans anos atrás. São eles: Oyasumi Punpun, Erased, Uzumaki, Bungou Stray Dogs e Citrus. Outros que eu quero ainda comprar são Marcha Para Morte, Nonnomba e Guardiões do Louvre. Acredito que entrariam no meu Top 10 facilmente Oyasumi Punpun, Erased (o primeiro arco é muito bom) e Uzumaki. Como não li ainda, ficaram de fora. Mas vamos então para a lista!

10. Children of the Sea

Autor: Igarashi Daisuke
Editora: Panini
Preço: R$ 32,90
Papel: Offset
Periodicidade: Bimestral
Volumes Publicados: 04 (Brasil) 05 (Japão) – concluído no Japão
Revista: Ikki (Shogakukan)
Demografia e Gêneros: Aventura, Drama, Fantasia, Mistério, Seinen, Sobrenatural
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: “Eles foram criados por dugongos”. Nas férias de verão, Ruka conhece Umi e Sora, dois meninos de origem estranha e misteriosa. Fascinados pelas crianças que nadam como se voassem pelas águas do mar, Ruka e muitos adultos estabelecem uma complexa relação com elas. Enquanto isso, um fenômeno inexplicável ocorre em vários locais pelo mundo: peixes começam a desaparecer. Tem início a aventura marinha das crianças que mexerá com os cinco sentidos!

Children of the Sea foi uma das belas surpresas de 2018 pra mim. O autor havia sido publicado meses antes pela Panini com o mangá Witches. Children é um mangá muito lindo visualmente, meio poético e misterioso. O enredo é bem interessante e conta com uma narrativa cheia de elementos diferenciados. A forma que o Igarashi-sensei conta e conduz a história é muito boa. Ele nos envolve demais com a arte lindíssima dele, que passa uma sensação incrível, exatamente no clima da obra, algo como uma calmaria, cheia de profundidade. Você sente como se estivesse realmente na beira da praia ou mergulhando, com todo aquele silêncio, barulho do mar e do vento. É sensacional. E isso se reforça ainda mais nas cenas que justamente mostra o oceano e a praia. O feels desse mangá é maravilhoso e imersivo demais. Outra coisa muito bacana da narrativa é que em quase todo início de capítulo o autor coloca depoimentos de pessoas, geralmente pescadores e afins, falando sobre a dupla de crianças, Umi e Sora, que foram criadas no mar, além de comentarem outros mistérios que presenciaram envolvendo os dois. Além desses lapsos temporais na narrativa, o andamento da história é bastante tranquilo, natural e muitas vezes encantador. É tudo feito e contado de modo que o mistério central sempre ganhe novas perguntas e seja cada vez mais atrativo para o leitor.

Indo um pouco mais do que a sinopse conta, Umi e Sora foram duas crianças que viveram no mar até uma certa idade e criados por dugongos, uma espécia prima de peixes-boi. Ruka, a protagonista, viu um peixe brilhante em um aquário quando criança, algo que no mangá chamam de espírito do mar. Por enquanto apenas um nome provisório dado. Esse peixe tinha várias bolinhas de luz e simplesmente desapareceu na frente dela. Esse acontecimento que liga ela aos dois garotos e a trama central da história. Pra aumentar ainda mais as dúvidas e questionamentos, diversos peixes e animais marinhos estão desaparecendo de aquários e outros morrendo na beira de praias ao redor do mundo. Muitos desses animais aquáticos são do fundo do oceano. Aparentemente existem outras crianças como o Umi e o Sora e o destino delas parece preocupante. Tudo está interligado.

Vocês vão se surpreender com a arte. As cenas submersas em oceanos e aquários são deslumbrantes. O autor também consegue passar muita emoção com os personagens apenas pela fisionomia deles no momento. É muito legal de se observar. E como tudo é cheio de misticismo, você se pega olhando atentamente a cada parte do desenho em busca de dicas sobre os mistérios, hehe. Sim, o mangá possui alguns elementos sobrenaturais, apesar de bem sutis e inseridos de maneira orgânica numa história realista. Outro ponto bacana são os personagens, todos bem carismáticos e interessantes. A Ruka, que tem certa dificuldade de se relacionar com os outros, acaba conseguindo ser ela mesma quando conhece os dois irmãos. Ainda existe outros personagens secundários que devem ser mais explorados no decorrer do mangá.

A edição da Panini ficou muito linda, tem orelhas, verniz localizado e relevo na capa. O papel é offset e o preço ficou em R$ 32,90. Vale esse valor? De maneira nenhuma. Eu achei o preço bem caro, sendo totalmente sincero. Mesmo com uma história tão interessante e promissora, o material acaba não compensando o valor. Eu só fui começar a comprar quando encontrei o mangá por quase 20 reais. Consegui um dos volumes por menos de 20 numa oferta relâmpago da Amazon. O preço com certeza vai afastar muitos leitores, mas é um título que eu recomendo irem atrás quando encontrarem promoções, porque vale a pena. Além de ser apenas 5 volumes ao todo. Children of the Sea vai ganhar um filme animado esse ano ainda pelo o que eu lembre. Acho muito legal ver a obra ganhando esse reconhecimento mais do que merecido.

9. Dr. Stone

Autor: Inagaki Riichiro (história) e Boichi (arte)
Editora: Panini
Preço: R$ 21,90
Papel: Offwhite
Periodicidade: Bimestral
Volumes Publicados: 03 (Brasil) 08 (Japão) – em andamento
Revista: Weekly Shonen Jump (Shueisha)
Demografia e Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama, Sci-fi, Shounen
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: Em um instante, todos os humanos do mundo viraram pedra. Este acontecimento misterioso envolveu o estudante Taiju e, depois de milhares de anos, ele e o seu amigo Senku despertam e decidem reconstruir a civilização do zero. e assim começa uma grande e única aventura de sobrevivência num mundo de ficção científica.

Confesso que até esperava que um dia fosse ser publicado no Brasil, mas não tão cedo assim. Provavelmente a Panini decidiu se adiantar por conta do anime que vai sair em 2019. O mangá é muito interessante, um pouco diferente do padrão Shonen Jump em alguns aspectos, apesar da fórmula se encaixar nos padrões da revista. O enredo é muito bacana e instigante, você acaba se vendo absorvido pela ideia geral da trama e de todos os mistérios que ela apresenta. Tem também um elemento fundamental pra agarrar os leitores no começo, aquela famosa sensação de angústia, por vermos os personagens tentando acordar pessoas importantes que estão petrificadas enquanto um outro, que acordaram antes, quer impedir e eliminar todos, inclusive caçando eles. Esse começo da história foi muito bem pensado e desenvolvido pra agarrar os leitores e tornar tudo muito interessante desde o início. Dessa forma, até mesmo se você decidir comprar apenas o volume #1, terá boas chances de continuar acompanhando a série.

Além do elemento diversão e envolvimento, o enredo ainda traz elementos sobre química de uma maneira em que você aprende, em que você lembra dos tempos de colégio e em que você consegue entender tudo tranquilamente. Não é algo chato ou cheio de informação que faz a gente ficar perdido. E isso não está lá só por ”boniteza”, mas sim pra enriquecer o próprio enredo, pois tudo que vem acontecendo no mundo possui explicação química, por isso faz total sentido. Em vez de botarem trocentas explicações chatas e que ninguém entenderia ou de colocar informações rasas só pra parecer inteligente ou justificar de maneira barata o universo da obra, tudo que eles trazem sobre química ficou perfeito e ajustado pra enriquecer a história.

É muito legal ver as editoras lançarem certas obras antes dos animes saírem – eles conseguem esse tipo de informação em primeira mão negociando contratos -, porque antigamente elas levavam até anos pra publicar após as animações saírem. Tem que aproveitar o merchan do anime, que hoje em dia está mais globalizado do que nunca com Crunchyroll, Netflix, Amazon Prime e demais sistemas de streaming.

Dr. Stone é muito divertido, tem personagens bem bacanas e um futuro bem promissor, que te anima com o que poderá vir pela frente. São dois protagonistas, não um. Até onde eu li nesse começo, o antagonista não chama ainda muita atenção e acho que isso é algo fundamental pra qualquer história. A arte é linda, o Boichi é um dos melhores nesse sentido pra mim. O preço do mangá é salgadinho (R$ 21,90), vem naquele novo padrão da Panini em que os títulos em papel jornal estão saindo com o papel offwhite. Sendo sincero, eu acho carinho, só compro quando está com aquela promoção mínima da Amazon reduzindo pra R$ 18,90, que eu acredito ser um preço mais justo. Eu adquiri o hábito de comprar um ou dois meses depois do lançamento de cada volume por condições financeiras mesmo, infelizmente é difícil colecionar mangás no Brasil nesses tempos. Se eu comprasse poucos títulos, até pensaria em pegar no mês que sai, mas como é um número até considerável, essa foi a melhor maneira que encontrei de comprá-los sem me assassinar financeiramente, hehe.

Enfim, Dr. Stone foi um dos melhores lançamentos desse ano pra mim. Recomendo bastante a leitura. Vale a pena comprar o primeiro volume pra se ter uma ideia melhor e decidir se acompanhará ou não a série. Não sei se seria recomendável esperar pelo anime sair este ano pra conhecer a série, porque até lá o volume #1 pode já ter sumido do mercado, afinal estamos falando da Panini e sua tiragem incrível.

8. Jojo’s Bizarre Adventure – Phantom Blood

Autor: Araki Hirohiko
Editora: Panini
Preço: R$ 29,90
Papel: Offset
Periodicidade: Bimestral
Volumes Publicados: 03 (Brasil) 05 (Japão) – concluído
Revista: Weekly Shonen Jump (Shueisha)
Demografia e Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama, Histórico, Mistério, Seinen, Shounen, Sobrenatural
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: Jonathan é o herdeiro único de uma notória família da aristocracia britânica, os Joestar. Tudo o que o jovem queria era ser um cavalheiro e viver de forma tranquila e despreocupada. Porém, seus pacatos dias estão para acabar, pois a chegada do “invasor” Dio Brando fará tudo virar de cabeça para baixo. Além de sofrer diariamente nas mãos de Dio, ainda há a presença sombria de uma misteriosa Máscara de Pedra.

Talvez um dos mangás mais pedidos até hoje para as editoras brasileiras, JoJo finalmente deu às caras por aqui! A forma encontrada pra vir foi trazendo por partes. Ainda bem que os japoneses liberaram assim. A parte 1 de JoJo, Phantom Blood, pode não ser a melhor de todas, mas ainda assim é bem boa. Se me lembro bem, a Panini confirmou até a parte 3 no Brasil, com a parte 2 já tendo começado a sair. A edição ficou linda, com orelhas, verniz localizado, um ótimo trabalho na adaptação da tradução e no tratamento da imagem. Eu gostei muito da nossa edição pela Panini. Está saindo por R$ 29,90, um preço legal, aceitável, apesar de eu achar que poderia ser ainda um pouco mais barato, caso não estivéssemos em meio a crise do país. Cada volume compila mais ou menos um e meio do japonês. No Japão, a parte 1 durou cinco volumes, enquanto aqui foi concluída recentemente com três. É possível encontrar com preço abaixo do de capa na Amazon, por exemplo.

Não sei nem como descrever direito o que é JoJo, de tão louco que consegue ser. O mangá é MUITO divertido e envolvente. Se você curtir o estilo da obra, dificilmente conseguirá parar de ler. Como essa primeira parte saiu lá pela década de 80 ou 90, algumas coisas você consegue perceber que são mais antiguinhas quanto a padrões de enredo, de personagens e de arte. Mas garanto pra vocês que isso não diminui em nada a experiência e passa longe de ser um demérito. Ao longo da sua enorme publicação, que já conta com mais de 8 partes e mais de 100 volumes, o mangá evolui bastante e muda um pouco o seu estilo de narrativa, se modernizando com o tempo, porém sem perder a sua essência e características principais que fizeram da obra esse fenômeno que é há bastante tempo.

Esse começo lembra algo próximo a uma novela mexicana ou brasileira, com tramas, acontecimentos e personalidades meio pastelões, mas ainda assim com boa profundidade. Não pense que o enredo é fraco ou chato, pelo contrário! Tenho certeza que você vai adorar os personagens, tanto no gostar deles quanto no sentir raiva. Eu digo raiva porque o vilão, Dio, dessa primeira parte é um ser que você vai odiar mortalmente de tão ruim que ele é com os outros, principalmente com o Jonathan, coitado. O Dio é tão ruim que além de infernizar a vida dos outros, ser egoísta e sem caráter, ainda mata bichinhos pra deixar os outros tristes se for preciso. O cara não vale nada, haha. Tudo começa girando em torno de uma máscara misteriosa que o pai do Jonathan tem na sua casa. Essa tal máscara possui uma certa história e alguns elementos sobrenaturais. Não vou entrar muito em detalhes, porque senão seria spoiler.

De todo modo, tanto a história quanto os personagens são bem interessantes e divertidos. Se você ainda tem uma certa dúvida se vale ou não o investimento, recomendo bastante que deem uma olhada no anime. Já que o mangá é mais carinho, acho que vale a pena tentar conferir a obra pelo anime antes de decidir comprar o mangá ou não. JoJo é uma das maiores obras da cultura pop japonesa e faz um grande sucesso em todos os lugares. Só por isso, já merece a sua atenção.

7. Innocent

Autor: Sakamoto Shinichi
Editora: Panini
Preço: R$ 21,90
Papel: Offset
Periodicidade: Bimestral
Volumes Publicados: 06 (Brasil) 09 (Japão) – concluído no Japão
Revista: Weekly Young Jump (Shueisha)
Demografia e Gêneros: Adulto, Histórico, Psicológico, Seinen, Tragédia
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: No século XVIII, baseada nos princípios de “liberdade, igualdade e fraternidade”, ocorreu a Revolução Francesa, ponto de partida da sociedade atual. Charles-Henri Sanson viveu nessa época nefasta e foi o quarto chefe da família Sanson, uma linhagem de carrascos reais de Paris. É revelada a biografia histórica desse personagem que enfrentou com nobreza e inocência um destino cruel!!

Innocent é daqueles mangás que a narrativa é tão boa, que você começa a ler e quando menos percebe já termina o volume. É tudo tão fluido e bem construído que a leitura vai rápida, mesmo tendo uma boa quantidade de diálogos e acontecimentos em cada encadernado. Eu havia lido o volume #1 tempos atrás por scans e já gostava da obra, mas confesso que fui surpreendido até onde li, mais ou menos no volume #4~#5. É muito bom!! A história e os personagens vão numa crescente sem parar.

Essa biografia histórica do carrasco Charles-Henri Sanson é fantástica! A gente consegue ver o nível doentio daquela época, em que quase toda a população mundial vivia na ignorância, com foco, obviamente, na família de carrascos Sanson. É muito triste ver aquelas crianças sendo educadas pra serem cruéis e frias até se tornarem carrascos. Em meio a uma profissão terrível, existe uma pessoa por lá, com sentimentos, com medos etc. É curioso ver esse desenvolvimento do Charles, um rapaz inocente e que abominava o que sua família fazia, mas que fora obrigado a se tornar o principal sucessor dos Sanson. Além do próprio crescimento do personagem e seus dilemas, ainda há espaço para o desenvolvimento de outros próximos a ele, além do elemento histórico da época (Revolução Francesa). Pra quem não sabe, o mangá é inspirado na bibliografia do Charles-Henri Sanson, escrita por um escritor japonês.

A edição da Panini ficou linda. Eu acho o valor um pouco carinho, sempre espero um descontinho de 2 a 3 reais pra comprar, mas realmente vale a pena. A história é maravilhosa, os personagens são muito bons e a arte é bem acima da média, com certeza um belo diferencial do mangá. Não tenho dúvida que foi um dos grandes lançamento de 2018.

6. I am a HERO

Autor: Hanazawa Kengo
Editora: Panini
Preço: R$ 19,90
Papel: Offset
Periodicidade: Bimestral
Volumes Publicados: 05 (Brasil) 22 (Japão) – concluído no Japão
Revista: Big Comic Spirits (Shogakukan)
Demografia e Gêneros: Ação, Drama, Horror, Mistério, Psicológico, Seinen, Sobrenatural
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: Aos 35 anos, Hideo Suzuki é um assistente de mangaká cuja vida parece estar estagnada em um trabalho sem perspectiva de crescimento profissional e que o afasta cada vez mais de seus sonhos. Além disso, tem uma dificuldade imensa em criar laços e manter seus relacionamentos. Se considera um verdadeiro fracassado, com uma vida vazia e sem propósito, assim como a grande maioria da atual sociedade japonesa de assalariados. Mas… um dia, a rotina de Hideo muda drasticamente. Ele presencia uma mulher ser atropelada. Apesar de estar obviamente morta, ela se levantou e atacou um homem com mordidas…

O melhor mangá de zumbis já feito? Talvez, não seria absurdo nenhum falar isso. I am a HERO é maravilhoso. É outro da lista que eu digo que a narrativa é tão, mas tão boa que você simplesmente engole os capítulos e termina os volumes sem nem perceber. Esse mangá é uma obra de arte, o Kengo-sensei é um cara diferenciado em recursos pra conduzir e contar uma história. Ele traz vários simbolismos, quadros do mangá diferentes e uma arte maravilhosa. Por exemplo, em algum momento do volume #1 você está lendo tranquilão quando se depara com a visão em primeira pessoa. Até aí legal, tudo bem. Porém você percebe que o personagem tá estranho, afinal ele tá vendo tudo meio na diagonal, como se estivesse cambaleando, até que você vira a página e vê o tal personagem ali na frente. Mas então quem estava olhando daquele jeito na primeira pessoa? O zumbi! Esses detalhes sutis engradecem muito a narrativa e traz uma imersão ainda maior pra obra. É muito bacana a forma como ele conta a história e desenvolve os personagens. Em meio a tudo isso, o autor ainda faz várias críticas a sociedade, fala sobre a solidão e brinca com estereótipos, como quando ele comenta no começo do primeiro volume a dura realidade dos mangakás e da vida em sociedade. E por mais que essa história seja de zumbis, tudo isso que falei aqui encaixam de maneira super natural na trama principal.

Os zumbis que o autor desenha são grotescos, cheio de larvinhas e partes do corpo nojentas. Eles são um pouco melhoradas que os zumbis clássicos que só andam devagarinho e não possuem reflexos. Digamos que os de I am a HERO tem um leve buff. É interessante notar que apesar de serem zumbis, eles aparentam seguir um certo padrão ou falar coisas relacionadas as suas rotinas de antes ou a pessoas próximas logo que se transformam. A história não é algo frenético e cheia de explosões como a maioria das coisas de zumbis que temos por aí. Ela possui um ritmo bem mais tranquilo e lento, pouca coisa realmente acontece em cada volume. Eu adoro esse ritmo que ele desenvolve o enredo, mas talvez quem estiver procurando por algo como um filme de zumbis hollywoodiano, pode se desapontar.

Uma cena que eu gosto muito do começo da obra é uma conversa do protagonista com um colega mangaká escrotaço dele quando estão fugindo na rua de todo o caos. O amigo dele dá uma risadinha e diz que, nesse momento, eles, os excluídos da sociedade, sedentários e que vivem trancafiados em casa, são os que tem mais chance de sobreviverem, afinal os demais estão nas ruas ou curtindo a vida ao lado de muita gente, aumentando o risco de serem mordidos. No fim da conversa ele diz que finalmente esse era o mundo deles. É muito bacana esses momentos no mangá. Além dessas partes no enredo, a arte rouba a cena várias vezes. São diversas páginas duplas lindas, cenas desenhadas de percepções e ângulos diferentes e vários jogos de cores entre o preto e o branco que só tornam a experiência ainda mais imersiva e angustiante.

Vai ser um longo caminho até o volume #22, tenho medo da Panini e seus reajustes assustadores de preços do nada, sem falar na baixa tiragem de sempre da editora, mas é um título que eu recomendo bastante. Aliás, sugiro que comprem o volume #1 e #2 antes que sumam pra sempre do mercado, haha.

5. Velvet Kiss

Autor: Harumi Chihiro
Editora: New Pop
Preço: R$ 16,00
Papel: Offset
Periodicidade: Mensal
Volumes Publicados: 04 (Brasil) 04 (Japão) – concluído
Revista: Vitaman (Takeshobo)
Demografia e Gêneros: Adulto, Drama, Hentai, Romance
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: Nitta, um assalariado comum, é enganado e acaba contraindo uma enorme dívida. Ele tem a opção de manter a dívida congelada, mas para isso precisa tornar-se “amigo” de uma garota misteriosa, chamada Kanoko. Ele é feito de gato e sapato por ela e acaba desenvolvendo uma relação mais profunda. Começa aqui um romance que mistura confusão e luxúria, com a eroticidade que merece!

Esse me pegou completamente de surpresa. Eu nem pretendia comprá-lo, mas em algum momento me deu vontade de ler um romance/drama mais realista e sério e decidi arriscar e pegar Velvet Kiss. Ainda bem que eu fiz isso! O mangá é muito bom. Eu sei que o fato de ser hentai já afasta muita gente. Eu mesmo não leio absolutamente nada de hentai e nem tenho muito interesse, mas sabia por comentários de amigos que Velvet não era algo de roteiro raso e que só tinha putaria gratuita. E esse foi um dos motivos que me fez ter esperança em ler algo legal quando comprei.

De fato, Velvet Kiss tem um enredo bem bacana, é um drama/romance bem pé no chão, tem cenas de sexo, mas nada besta ou só com objetivos de fanservice. Eu me envolvi bastante com a história, adorei o Nitta e a Kanoko, os dois principais personagens, e fiquei lendo superempolgado e angustiado com o que ia acontecendo. A narrativa é muito boa, você consegue ler os volumes de maneira bem fluida. Sim, tem censura nas partes íntimas lá de baixo, podendo Velvet ser considerado até mesmo um smut e não um hentai. Eu, sinceramente, acho o mangá muito mais um seinen com cenas de sexo, como milhares por aí, do que um hentai pornozão. E isso é algo muito importante pra quem procura uma boa história pra ler e possui um certo pé atrás quando vê uma obra classificada como hentai. Eu afirmo aqui pra vocês, podem comprar à vontade esperando um drama/romance em vez de putaria gratuita.

Eu adorei Velvet Kiss, do começo ao fim. Sei que tem gente que não gosta do final, mas eu achei a conclusão extremamente realista e pé no chão. Podem ir tranquilos esperando por um bom final. São 4 volumes redondinhos, eu gostaria até de um pouco mais porque me apeguei aos personagens, entretanto ficou tudo natural, de bom tamanho e sem pontas soltas. Foi uma das grandes surpresas de 2018 pra mim e que eu recomendo bastante pra lerem, principalmente se curtem romance/drama tanto quanto eu. Não é nada incrível ou avassalador, mas é uma ótima história e com bons personagens. E vale ainda mais a pena levando em conta que são apenas 4 volumes de R$ 16,00 que se encontram em vários lugares com preço abaixo do de capa, como na própria Amazon. A edição brasileira ficou bem lindinha e caprichada como é padrão da New Pop.

4. Happiness

Autor: Oshimi Shuzo
Editora: New Pop
Preço: R$ 16,00
Papel: Offset
Periodicidade: Bimestral
Volumes Publicados: 04 (Brasil) 09 (Japão) – em andamento
Revista: Bessatsu Shonen Magazine (Kodansha)
Demografia e Gêneros: Drama, Escolar, Horror, Psicológico, Shounen, Slice of Life, Sobrenatural
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: Com uma mistura de gore e terror, Happiness é um shounen diferente que trabalha as várias facetas humanas. Na história, Makoto Okazaki é um garoto que está sempre evitando confrontos e escondendo seus verdadeiros interesses, sem saber como se expressar. Num dia fatídico, porém, Makoto é atacado e forçado a fazer uma escolha: morrer como um humano ou viver como um vampiro. Desesperado e com medo da morte, o rapaz escolhe viver, mas sua nova “vida” não é algo que ele possa fingir que não existe e o rapaz se vê forçado a encarar quem é e seus desejos. Finalmente a estreia de Happiness pela NewPOP, do mesmo autor de “Aku no Hana” (The Flower of Evil).

Outro título maravilhoso que a New Pop nos presenteou em 2018! Happiness é mais um mangá dessa lista que tem uma narrativa tão boa e fluida, que você termina de ler os volumes muito rápido e já fica desesperado pelo próximo. Happiness eu havia apenas lido o capítulo 1 em scans quando saiu porque gosto dos trabalhos do autor e queria conferir como tinha ficado sua nova série. Só fui continuar a ler depois que a New Pop trouxe a obra pra cá. A minha impressão inicial só melhorou depois de ler todos os volumes já lançados aqui no Brasil. A história é muito boa, algo bem diferente do convencional de histórias de vampiros que temos por aí, sejam aquelas de terror (Drácula), sejam aquelas de ação (Van Helsing), sejam aquelas de romance (Crepúsculo). Happiness vai por outro viés, algo bem pé no chão e que seria um ótimo reflexo se você se visse transformado em um vampiro de um dia pro outro. As reações, os medos e as mudanças de cotidiano do protagonista são extremamente reais e verossímeis. E eu acho que esse é um dos pontos altos logo do começo do mangá pra te prender a ele e a ajudá-lo na imersão com a obra e na simpatização com os personagens.

Personagens que, por sinal, são muito bons. Se a história segue nesse caminho realista, os personagens não fogem disso, casando muito bem com o enredo e deixando tudo redondinho. Todos eles são interessantes e misteriosos. O bacana é que o Oshimi-sensei explora aos poucos os mistérios sobre os vampiros e o conhecimento do mundo sobre eles. Tudo ainda é mais cheio de perguntas do que de respostas. Eu acho ótimo, não gosto muito de histórias em que já saem contando tudo nos primeiros capítulos. Até então, a motivação e o backstory dos personagens são interessantes, mas muita coisa ainda vai rolar. Sim, existe um pouco de gore, mortes e violência como uma história realista sobre o tema viria a ter. Outro ponto muito positivo de Happiness é a sua arte. O mangá é uma experiência à parte, o que contribui muito pra imersão. O mundo visto pelos vampiros muda na arte de um jeito muito bonito e bacana, algo bem agoniante e que passa completamente a sensação desconexa de mundo dos personagens, além da angústia de estarem passando por tudo aquilo.

A edição nacional tá lindona, vem naquele formato pocket da editora e custa R$ 16,00, mas com os primeiros volumes já se encontrando com desconto na Amazon. Eu recomendo demais a leitura e sem dúvida foi um excelente lançamento em 2018. Uma pena que não veio com páginas coloridas pra nós. No Japão, Happiness é publicado na mesma revista de Shingeki no Kyojin e Sankarea, ambos publicados pela Panini.

3. Made in Abyss

Autor: Tsukushi Akihito
Editora: New Pop
Preço: R$ 21,90
Papel: Offset
Periodicidade: Bimestral
Volumes Publicados: 03 (Brasil) 07 (Japão) – em andamento
Revista: Manga Life Win + (Takeshobo)
Demografia e Gêneros: Aventura, Drama, Fantasia, Mistério, Sci-fi, Seinen, Tragédia
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: Em um mundo que já foi explorado de ponta a ponta, a única área misteriosa remanescente é o grande buraco chamado de “Abismo”. Criaturas muito estranhas e bizarras habitam as profundezas desse imenso buraco do qual não se conhece o fundo e também encontram-se relíquias que não podem ser feitas pelos humanos atuais. Os mistérios do Abismo fascinam as pessoas e as levam a buscar aventuras. Com o tempo, esses aventureiros que desafiaram esse grande buraco inúmeras vezes passaram a ser chamados de “exploradores de cavernas”. Riko, uma órfã que vive na cidade de “Orth” à beira do Abismo, sonhava em se tornar uma grande exploradora de cavernas como sua mãe e desvendar os mistérios do Abismo. Certo dia, Riko encontrou e acolheu um robô com a forma de garoto enquanto fazia explorações.

Nossa, que alegria ver essa delícia publicada no Brasil. Muito obrigado, New Pop!! Adoro a editora e fiquei muito feliz por ter vindo por eles. Made in Abyss é simplesmente maravilhoso. É uma obra que eu já conhecia há um bom tempo, inclusive recomendei que nem louco no guia da temporada em que ele saiu aqui do site. Felizmente muita gente deu uma chance pra Made por causa disso. A história do mangá é muito linda, criativa e emocionante. Os personagens são uns amores, com um excelente backstory e desenvolvimento. O mundo é tão cheio de mistérios e trabalhado de uma maneira tão bacana que a gente fica encantado com tudo aquilo enquanto lê. São poucas as obras que conseguem fazer isso. A arte é linda demais e o enredo é muito bem construído e interessante. Podem ir com tudo nesse mangá!

Eu queria discorrer um pouco mais sobre a obra, mas acho que poderia acabar sendo spoiler. O que eu posso dizer pra vocês é que essa é uma história seinen, tem violência, tramas políticas, busca de identidade, choques de realidade e crueldade. É um enredo bem realista, pé no chão, assim como os personagens. A busca pelo misterioso fim do abismo pode levar as pessoas a cometerem atos horríveis, assim como gestos lindos. Tudo isso converge de forma bastante natural e orgânica na história junto com os personagens. E não se enganem pelos traços bonitinhos de alguns personagens.

O mangá está sendo publicado num formato um pouco maior que o padrão aqui no Brasil. É um pouco diferente do que estamos acostumados, mas é igual ao formato japonês. Lá, ele também é um pouco grandinho nas dimensões. A nossa edição está linda e valendo, sim, o preço de capa de R$ 21,90, deixando no chinelo as da Panini por esse mesmo valor no papel offwhite e capa cartão. Recomendo demais! Mas recomendo muito também o anime de Made in Abyss que saiu ano passado e ficou MUITO lindo e bem feito pelo estúdio Kinema Citrus, um dos melhores. É uma porta de entrada pro mangá quase que obrigatória, eu diria. Pode ser assistido pelo Amazon Prime. Assistam e leiam!!

2. Ayako

Autor: Osamu Tezuka
Editora: Veneta
Preço: R$ 129,90
Papel: Pólen Bold
Volumes Publicados: 01 (Volume único – Brasil) 02~03 (Japão) – concluído
Revista: Big Comic (Shogakukan)
Demografia e Gêneros: Histórico, Psicológico, Romance, Seinen, Tragédia
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: Jiro Tenge, filho de uma família aristocrática do norte do Japão, volta para casa depois de passar anos como prisioneiro dos americanos durante a Segunda Guerra Mundial. Ele descobre então um terrível segredo envolvendo seu pai, seu irmão mais velho e sua cunhada. Mas Jiro também tem um segredo, também terrível. E todos decidem que a filha mais nova, a pequena Ayako, é quem pagará pelos pecados da família. Através da história da família Tenge, o quadrinista Osamu Tezuka conta a história do Japão no pós-guerra. O trauma da ocidentalização forçada imposta pela Força de Ocupação norte-americana, os reflexos da Guerra Fria, os choques de gerações, a luta de classes, a corrupção na política, o poder da Yakuza, as guerras de gangs, a violência do machismo… Tudo em um ritmo de suspense alucinante, que surpreende à cada página. Um livro emocionante.

Ayako me pegou de surpresa. De início, eu nem pretendia comprá-lo. Fui convencido por tanto falarem bem, principalmente pelos vídeos do Pipoca & Nanquim. Decidi esperar pela Book Friday da Amazon e peguei o mangá por mais ou menos 60 reais. Mais da metade. Sim, vale cada centavo essa obra, mas recomendo pegarem com um desconto. Na própria Amazon o desconto básico de Ayako já é ótimo, deixando por menos de 100 reais. Não sei como está hoje em dia, mas deve variar dependendo do estoque.

Tenho certeza que muitos podem se afastar não só pelo preço, como também pelos traços. Pois é, são diferentes, mais datados, feitos pelo mestre Osamu Tezuka. Eu afirmo pra vocês que esse pé atrás pela arte logo sumirá com poucas páginas lidas desse mangá. Até mesmo pra quem não gosta muito, é bem rápido e natural de se acostumar e até gostar durante a leitura.

Mas essa obra é tão boa mesmo ou só ficam falando bem por ser do Tezuka? Essa era uma dúvida que eu também tinha e que sumiu completamente quando comecei a ler. Ayako é maravilhoso, podem ter certeza. Não é algo infantil, muito pelo contrário. Não é bobo, tosco ou sem profundidade, é justamente o oposto. O enredo é excelente, traz uma história bem pesada e horrenda de uma família japonesa logo após a Segunda Guerra. E tudo é extremamente realista. Tenho certeza que coisas lamentáveis como as que Ayako nos mostra aconteceram de verdade. O Japão sofreu muito com os reflexos da Segunda Guerra na sociedade. Coisas boas e coisas ruins vieram. Ayako nos mostra tudo isso pelo ponto de vista de uma família completamente disfuncional e conservadora. É impressionante tudo que acontece e como os personagens lidam com eles próprios e com as demais situações.

São mais de 700 páginas que você simplesmente engole. Eu não consegui parar de ler e terminei tudo em um dia! Se a coisa fosse mesmo ruim, não teriam tantas pessoas tendo feito o mesmo que eu em ler sem parar o mangá. Além de um excelente enredo e ótimos personagens, Ayako ainda traz vários elementos bacanas daquele importantíssimo período histórico. Esse mangá é uma bela crítica a sociedade japonesa… Uma crítica que, a meu ver, continua sendo atual de certo modo, tendo em vista que os japoneses são um povo muito conservador até hoje. A obra é maravilhosa, não acho ela uma coisa ultra incrível, mas sem dúvida dá pra considerar uma leitura obrigatória pra qualquer um. A única parte que me decepcionou um pouco foi a parte final do mangá. Não que tenha ficado ruim, ficou muito bom, mas permaneceu aquela sensação de que poderia ter sido ainda mais incrível se o Tezuka-sensei tivesse a oportunidade de continuar o mangá por mais tempo. Infelizmente ele teve que apressar a publicação mais no final, ele comenta no posfácio que tinha muita vontade de contar mais da vida adulta da Ayako, protagonista, mas não foi possível.

Como falei anteriormente, são mais de 700 páginas num volume único que deixa a bíblia com inveja. A edição da editora Veneta ficou lindaça em todos os sentidos, justificando, também, o alto valor do mangá. É um título que eu acho obrigatório para a leitura de qualquer um e um lançamento sensacional e bem inesperado pro nosso mercado nacional. Espero que continuem trazendo coisas incríveis e inimagináveis assim daqui em diante. Fiquem sempre de olho na Amazon, pois quando tiver um bom desconto você não deixar a oportunidade passar!

1. The Promised Noverland

Autor: Shirai Kaiu (história); Demizu Posuka (arte)
Editora: Panini
Preço: R$ 21,90
Papel: Offwhite
Periodicidade: Bimestral
Volumes Publicados: 04 (Brasil) 12 (Japão) – em andamento
Revista: Weekly Shonen Jump (Shueisha)
Demografia e Gêneros: Ação, Aventura, Drama, Horror, Mistério, Psicológico, Sci-fi, Shounen, Sobrenatural, Tragédia
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: Ela é amada como uma mãe, mas não é uma mãe de verdade. E as crianças que vivem juntas também não são irmãos de verdade. Emma, Norman e Ray vivem felizes em um remoto orfanato, porém, esses alegres dias estão prestes a acabar.

O grande lançamento de 2018 pra mim foi Neverland. Que mangá mais sensacional. Que história mais intrigante. Que enredo mais bem contado e construído. Que personagens mais interessantes. Que obra mais divertida de se ler! Neverland é excelente em basicamente tudo nesse seu começo. Achei essencial o plot twist da história acontecer já no primeiro volume, pra nos fazer entrar de vez e seguir acompanhando o mangá. Se fosse algo mais demorado, acho que poderia perder leitores e ameaçar a obra quando começou sua serialização. É uma reviravolta fundamental pro andamento de Neverland. Até agora, saíram apenas 3 ou 4 volumes e o primeiro arco ainda está em andamento. Acredito que podemos considerar a duração desse primeiro arco até quando ocorrer a conclusão definitiva do que os personagens pretendem fazer nesse começo. Podem ficar tranquilos que não darei spoilers.

Pois é, a obra lembra demais algo como um Death Note da vida, mais no sentido de fugir dos elementos shounen de porrada da Shonen Jump. Fugir daquela fórmula que a revista usa e basicamente todos os mangás dela possui. Mais legal ainda, os personagens principais são crianças – enquanto a média etária de protagonistas da revista fique dos 14 anos pra cima -, a protagonista da história é uma garota – mais raro ainda de se ver – e não temos lutas e pancadaria nesse mangá. Ele é uma batalha psicológica praticamente o tempo inteiro, assim como era em Death Note. A diferença em relação a Death Note é que não temos um dark protagonista, isto é, o personagem principal poder ser considerado o antagonista/vilão da trama.

Além do enredo muito bem construído, com uma narrativa empolgante e que se desenvolve de maneira bastante natural, a arte do mangá é muito bonita. Não apenas os traços dos personagens, mas a composição de tudo desenhado naquele mundo. Todos os elementos ficaram perfeitos pra história contada, as instalações, roupas, cenários… Tudo foi muito bem pensado pra parecer algo realista e natural daquele universo. A imersão do leitor na obra vai ainda além, com uma condução de história num clima, por vezes, angustiante, desesperador e claustrofóbico, perfeito pra obras desse tipo. Obviamente que tudo se completa com personagens carismáticos e interessantes.

Neverland é uma das grandes surpresas entre mangás no Japão desses últimos anos. A obra tem tudo pra estourar ao redor do mundo e já está caminhando pra ter esse reconhecimento. Entretanto, tenho que dizer que eu possuo um certo receio pelo futuro do mangá. Eu acho que a história é brilhante e inteligente nesse começo, mas ela pode facilmente cair em qualidade e se perder mais pra frente. E diria que isso é bem provável de rolar. Eu acompanho o mangá junto com os lançamentos da Panini, portanto não posso afirmar, mas as chances são enormes disso acontecer, ainda mais com uma primeira parte tão incrível e que vai inevitavelmente virar motivo de comparação com todo o restante da obra. Tudo vai depender de extensão da história, de quanto os autores ainda pretendem continuar com o mangá. Eu acho que Neverland é daqueles casos de que ficará quase que perfeito se não se alongar muito e terminar redondinho e fechadinho. Se decidirem enrolar por causa da serialização e tudo mais, acho bem provável que perca qualidade. Até mesmo Death Note sofreu disso. Enfim, é só uma impressão que eu tenho do futuro da história do mangá. Espero que continue bom sempre.

A edição da Panini está saindo naquele mesmo padrão que comentei de Dr. Stone, capa cartão, papel offwhite, bimestral e com o valor de R$ 21,90. Pela qualidade do material, não acho que vale o preço de capa, mas pela história vale facilmente. Eu recomendo comprar com pelo menos um descontinho de dois a três reais que se acha facilmente na Amazon. Esse foi de longe o melhor lançamento de 2018 pra mim e uma compra obrigatória pra qualquer um. É aquele famoso título que serviria de porta de entrada para quem não lê mangás e para aqueles que possuem um pré-conceito. Afinal, quando a história é tão boa e interessante, qualquer um vai se divertir lendo.

Menções Honrosas

Aqui no menções honrosas vou colocar outras coisas que li e gostei, outras coisas que ainda estou lendo e outras coisas que pretendo comprar e que teriam boas chances de estarem no Top 10 se eu já tivesse lido.

–> Já li, mas não entraram no Top 10

Pokémon Gold & Silver

Autor: Kusaka Hidenori (história); Yamamoto Satoshi (arte)
Editora: Panini
Preço: R$ 13,90
Papel: Jornal
Periodicidade: Bimestral
Volumes Publicados: 07 (Brasil) 07 (Japão) – fase Gold & Silver concluída (continua na fase Crystal)
Revista: Corocoro Comic (Shogakukan)
Demografia e Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Shounen
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: Na cidade de New Bark, na região de Johto, um jovem começa uma nova jornada totalmente sem querer e seu nome é Gold!! O mundo da nova saga de Pokémon “Gold & Silver”, baseada no jogo de Game Boy, que finalmente se tornou série em quadrinhos! Venha viver esta nova aventura com a gente!

A fase Gold & Silver vem sendo o arco mais legal do mangá Pokémon até agora pra mim. Só li os dois primeiros encadernados dessa parte e estou empolgado a cada volume lido. A minha geração favorita é a primeira, mas os meus jogos favoritos com certeza são Gold e Silver. Ainda bem que o mangá ficou bem melhor justamente nessa saga.

Fire Force

Autor: Ohkubo Atsushi
Editora: Panini
Preço: R$ 21,90
Papel: Offwhite
Periodicidade: Bimestral
Volumes Publicados: 04 (Brasil) 15 (Japão) – em andamento
Revista: Weekly Shonen Magazine (Kodansha)
Demografia e Gêneros: Ação, Comédia, Drama, Ecchi, Shounen, Sobrenatural
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: Há pessoas sofrendo combustão espontânea a qualquer momento, e surge uma brigada de bombeiros especializada em cuidar desses estranhos casos. Shinra Kusakabe é um rapaz de sorriso sinistro e passado tenebroso que gera fogo pelos pés e sonha em ser herói, que se une a outros bombeiros que combatem incêndios e também têm o poder de controlar o fogo.

Eu adoro Soul Eater, do mesmo autor. Fiquei bem feliz quando a Panini anunciou Fire Force por aqui. Por enquanto, tô curtindo o mangá. Li apenas os dois primeiros volumes e a história e os personagens são bem promissores. Tem um pouco de fanservice bobo, mas nada que incomode. Dizem que o enredo começa a se desenvolver de verdade a partir do volume #3 ou #4. Esses dois primeiros encadernados realmente foram mais de introdução aos personagens e ao universo da obra.

Black Clover

Autor: Tabata Yuuki
Editora: Panini
Preço: R$ 21,90
Papel: Offwhite
Periodicidade: Bimestral
Volumes Publicados: 04 (Brasil) 19 (Japão) – em andamento
Revista: Weekly Shonen Jump (Shueisha)
Demografia e Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama, Fantasia, Shounen, Sobrenatural
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: Em um mundo onde magia é tudo, Asta é um garoto que, mesmo incapaz de utilizá-la, almeja o posto de “Rei Mago”, o maior entre os magos, a fim de provar sua força e cumprir a promessa que fez com seu amigo. Abrem-se as cortinas dessa fantástica e mágica aventura.

Esse eu não esperava continuar comprando. Lembro que li o capítulo de estreia logo quando foi lançado na Shonen Jump e havia achado bem chatinho, meio meh. É claramente um coleção de cópias de partes de mangás famosos, como Fairy Tail, Naruto, One Piece etc. Num primeiro momento, parecia ser algo muito descarado e raso na inspiração, ao ponto de chamar de cópia mesmo, mas conforme a história se desenvolve, o autor se afasta disso e traz pra Black Clover sua própria identidade. Os personagens melhoram muito e os defeitos de alguns títulos de inspiração ele conseguiu deixar de fora. Eu fiquei surpreso em como eu estava me divertindo lendo o mangá e querendo continuar a coleção. É um título bem bacana, cheio de potencial e personagens que podem se tornar marcantes. Não sei se o autor vai conseguir chegar a esses pontos com Black Clover, mas torço para que sim. Por hora, ele é apenas divertido e não muito aprofundado em vários sentidos. Como só li 3 volumes do mangá até então, talvez as coisas se desenvolvam mais no futuro. De qualquer forma, foi outra surpresa agradável de 2018 da Panini.

–> Recém comecei a ler

Tekkon Kinkreet

Autor: Matsumoto Taiyou
Editora: Devir
Preço: R$ 94,00
Papel: Munken
Volumes Publicados: 01 (Brasil) 03 (Japão) – concluído
Revista: Big Comic Spirits (Shogakukan)
Demografia e Gêneros: Ação, Drama, Psicológico, Seinen, Sobrenatural
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: Numa cidade de “ferro” e “concreto” (significado em japonês de Tekkon Kinkreet), vivem personagens também implacáveis e indomáveis.
Kuro (o preto) e Shiro (o branco) são órfãos. Para sobreviver, eles têm de roubar, lutar e se esconder em um mundo sombrio, solitário e corrupto, onde a própria cidade os afaga ou os despreza, como se fosse um ser vivo. O soberbo desenho de Matsumoto, rico em pequenos detalhes, traduz fielmente o ambiente desta história que pode se tornar angustiante, mas que ao mesmo tempo nos emociona e nos liberta.
Vencedor do Prêmio Eisner de “Melhor Edição Internacional – Japão” em 2008.
Tekkon Kinkreet foi adaptado para o cinema em um longa-metragem animado com direção de Michael Arias e produção do Studio 4º C/Sony. Em 2008, este foi escolhido como a “Animação do ano” pela Academia do Japão, além de vencer nas categorias de “Melhor História Original” e “Melhor Direção de Arte” na Tokyo International Anime Fair.
O mangá foi lançado originalmente no Brasil pela Conrad em 2001 com o título Preto e Branco (em 3 volumes). A edição da Devir traz a história completa, em um único e gigantesco volume de mais de 600 páginas, com acabamento primoroso em capa brochura e sobrecapa.

Tekkon Kinkreet fui sem conhecer basicamente nada. Gostei da indicação do Pipoca & Nanquim sobre a obra e comprei numa promoção na Amazon. Estou gostando do começo, mas li apenas 4 capítulos até agora. Apesar de estar curtindo e vendo muito potencial nesse mangá, não achei justo colocá-lo no Top 10 antes de finalizá-lo. Mas fica a dica, Tekkon é um título bastante elogiado por tudo que é lugar e que pra mim, mesmo com poucos capítulos já lidos, tem sido muito bom.

–> Ainda não comprei

Bungou Stray Dogs

Autor: Asagiri Kafka (história); Harukawa 35 (arte)
Editora: Panini
Preço: R$ 22,90
Papel: Offwhite
Periodicidade: Bimestral
Volumes Publicados: 01 (Brasil) 16 (Japão) – em andamento
Revista: Young Ace (Kadokawa Shoten)
Demografia e Gêneros: Ação, Drama, Mistério, Seinen, Sobrenatural
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: O jovem Atsushi Nakajima chega a Yokohama após ser expulso do orfanato e ajuda um homem que tentava suicídio em um rio. O nome deste homem é Osamu Dazai, responsável por casos violentos na “Agência de Detetives Armados”, grupo de investigadores com habilidades sobrenaturais. Dazai estava justamente buscando pistas sobre o escândalo do tigre devorador de humanos que andava aterrorizando a cidade quando Atsushi o encontrou. Atsushi Nakajima, que está ligado ao tigre devorador de humanos, acaba sendo forçado por Dazai a acompanhar as investigações. Tendo Yokohama como cenário, este é o início da batalha sobrenatural dos grandes escritores literários.

Eu adoro Stray Dogs! Nunca li o mangá, acompanhei apenas o anime. De início, enquanto assistia os primeiros episódios, estava achando a obra legal, apenas okay. Mas ela cresce demais em todos os sentidos depois do primeiro arco. Ela fica tão boa que virou um dos títulos que eu mais gosto atualmente. Pra minha alegria, sai uma nova temporada esse ano, além do filme que saiu recentemente. Eu recomendo muito que deem uma chance pra Stray Dogs, mesmo que o começo não empolgue muito ou pareça algo genérico.

Citrus

Autor: Saburouta
Editora: New Pop
Preço: R$ 18,00
Papel: Offset
Periodicidade: Bimestral
Volumes Publicados: 01 (Brasil) 10 (Japão) – concluído no Japão
Revista: Comic Yuri Hime (Ichijinsha)
Demografia e Gêneros: Drama, Romance, Shoujo Ai, Slice of Life, Vida Escolar
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: Yuzu é uma garota colegial que ainda nem teve a experiência do primeiro amor, mas devido ao casamento de sua mãe, acabou sendo transferida para um colégio feminino. Logo em seu primeiro dia de aula na nova escola, ela reclamava por não conseguir um namorado e teve um encontro desastroso com Mei, a presidente do Conselho Estudantil. Depois disso, por um acaso, Yuzu presenciou-a beijando seu belo professor. Mei acaba se tornando sua irmã por afinidade e passam a dividir um mesmo quarto. Sem mais nem menos, Yuzu tem seu primeiro beijo roubado por ela.

Citrus eu já li alguns capítulos em inglês e é, talvez, o melhor yuri que eu conferi até hoje. Como eu não li tudo e decidi acompanhar pela New Pop, não posso dizer se a série teve um bom final, mas acredito que já vale a pena, sim. O mangá é um romance/drama que não se prende a fanservice, ela tem uma história bacana e personagens interessantes. O começo é meio clichê de obras do gênero, até entre yaois, com aquela fórmula meio comum até os personagens perceberam que gostam um do outro. Depois disso, Citrus sai dessa parte meio genérica e fica bem bacana, pelo menos até onde eu li. Existe também um anime da obra, mas esse o pessoal não elogia tanto, parece que não ficou muito bom, portanto não sei se seria uma boa porta de entrada pra quem não conhece. De todo modo, indicaria o mangá pra quem curte romance/drama e ainda mais pros yurifags por aí.

Uzumaki

Autor: Junji Ito
Editora: Devir
Preço: R$ 94,00
Papel: Munken
Volumes Publicados: 01 (Brasil) 03 (Japão) – concluído
Revista: Big Comic Spirits (Shogakukan)
Demografia e Gêneros: Drama, Horror, Mistério, Psicológico, Seinen, Sobrenatural, Tragédia
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: Kirie Goshima e Shuichi Saito vivem na pequena cidade de Kurôzu-cho, que se vê repentinamente assolada por uma estranha maldição: os seus habitantes tornam-se obcecados por objetos com a forma de espirais (conchas de caracol, remoinhos e padrões) e acabam por morrer misteriosamente. Kirie e Shuichi elaboram um plano para escapar da cidade, mas os seus esforços não têm sucesso e no regresso acabam por descobrir qual é afinal o centro da espiral.

Aaahh!!! Eu ia comprar o mangá na Book Friday da Amazon e por diferença de UM dia, perdi a chance porque esgotou no estoque deles! Falam tão bem de Uzumaki que eu tenho quase certeza que ele entraria em algum lugar do meu Top 10 se tivesse conseguido ler a tempo. Felizmente a Devir já confirmou a reimpressão da obra, com uma nova tiragem também para o excelente O Homem que Passeia. Uzumaki é, talvez, a grande obra do Junji Ito, mestre do terror e horror. Eu conheço pessoas que se impressionaram demais com a obra, com as críticas sociais que ela faz e da maneira como transmiti tudo isso para os leitores. Teve gente que chegou a sonhar com a obra de tão bizarra e impactante que ela é, haha. Eu amo mangás que nos deixam pensando neles por vários dias após a leitura, igual Uzumaki faz. Enfim, Uzumaki é uma das minhas prioridades de compra nesse ano e sem dúvida foi um dos grandes lançamentos de 2018.

Marcha Para Morte

Autor: Mizuki Shigeru
Editora: Devir
Preço: R$ 74,00
Papel: Munken
Volumes Publicados: 01 (Brasil) 01 (Japão) – concluído
Revista: Gekiga Gendai (Kodansha)
Demografia e Gêneros: Histórico, Psicológico, Seinen, Tragédia
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: No final da Segunda Grande Guerra, os soldados de uma companhia da infantaria japonesa são ordenados a morrer em nome do seu país ou serão executados ao regressar da batalha. Marcha para a Morte. , baseado em fatos reais e na experiência do autor quando serviu no Exército, relata as consequências devastadoras deste episódio para o moral dos soldados. A narrativa poderosa e pungente traduz de forma sensível as circunstâncias difíceis e caóticas, em uma declaração de Mizuki contra a futilidade da guerra e a estupidez da mentalidade militar. Vencedor do Prêmio de Legado do Festival Internacional de Quadrinhos de Angoulême, 2009, e do Prêmio Eisner de Melhor Edição Americana de Material Internacional do Japão e de Melhor Trabalho Baseado em Fatos Reais, 2012.

Esse título parece ser muito interessante. É baseado em fatos reais e em experiências do próprio autor servindo durante a Segunda Guerra. Dizem que esse mangá é bastante impactante e muito bom. Inclusive, ganhou diversas premiações em vários países, como o Prêmio de Legado do Festival Internacional de Quadrinhos de Angoulême, 2009, e do Prêmio Eisner de Melhor Edição Americana de Material Internacional do Japão e de Melhor Trabalho Baseado em Fatos Reais, 2012. Sem falar que o Shigeru-sensei tem grandes elogios em todos os mangás que já criou. Eu acho que Marcha Para Morte é fácil, fácil um dos grandes lançamentos de 2018 mesmo sem ter lido. Todas as pessoas que eu conheço e já leram, falaram maravilhas da obra. Como ele foi lançado apenas em dezembro, ainda não consegui comprá-lo, mas é um dos primeiros da minha fila de compras.

Nonnonba

Autor: Mizuki Shigeru
Editora: Devir
Preço: R$ 89,00
Papel: Munken
Volumes Publicados: 01 (Brasil) 01 (Japão) – concluído
Revista: Editoras Kodansha e Chikuma Shobo
Demografia e Gêneros: Drama, Histórico, Seinen, Slice of Life, Sobrenatural
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: “NonNonBa”, publicado originalmente no Japão em 1977, é a obra-prima de Shigeru Mizuki, um dos autores de mangá mais importantes de todos os tempos. Parte biográfico, parte fantástico, “NonNonBa” é um trabalho tocante sobre a infância e o amadurecimento, inspirado em grande parte no próprio Mizuki, quando criança, e sua avó, uma fonte inesgotável de conhecimento sobre os youkais (espíritos-monstros do folclore japonês).
Neste mangá, os personagens caricatos e expressivos contrastam com cenários detalhados e realistas, resultando em um trabalho ímpar que é, ao mesmo tempo, delicado e expressivo. NonNonBa está firmemente enraizado em um contexto social e histórico, e passeia pelo mundo sobrenatural.
Em 2007, “NonNonBa” foi o primeiro mangá vencedor na categoria de Melhor Álbum do Festival de Angoulême. E, em 2013, foi indicado ao Prêmio Eisner de Melhor Edição Norte-Americana de Material Estrangeiro (Asiático).

Mais um título da Devir e outro mangá do Shigeru-sensei. Assim como em Marcha Para Morte, Nonnonba é inspirado em acontecimentos da vida do autor, dessa vez a sua infância. Esse é considerado um dos mangás precursores sobre yokais (fantasmas, espíritos) no Japão, influenciando novos mangás do gênero até os dias de hoje. Nonnonba parece ser muito interessante e é outra obra premiada do autor cheia de elogios.

Oyasumi Punpun

Autor: Inio Asano
Editora: JBC
Preço: R$ 45,00
Papel: Lux Cream
Periodicidade: Não definida
Volumes Publicados: 02 (Brasil) 13 (Japão) – concluído no Japão
Revista: Big Comic Spirits (Shogakukan)
Demografia e Gêneros: Adulto, Drama, Escolar, Psicológico, Romance, Seinen, Slice of Life, Tragédia
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: Punpun é um garoto normal, que vive feliz com a sua família. Um dia, Aiko Tanaka é transferida para a sua escola. Foi paixão a primeira vista!! Voltando juntos para casa, ela conta que no futuro “a Terra vai se tornar um planeta inabitável”. É nessa hora que Punpun decide ser cientista espacial. Porém, bem quando encontra seu objetivo na vida, a realidade começa a desmoronar.

Aqui está um dos lançamentos mais incríveis que já saiu no nosso mercado nacional. Oyasumi Punpun é simplesmente uma obra-prima, sem mais. Ele entraria no meu primeiro lugar do Top 10 fácil, mas como saiu em dezembro e por um preço alto, não pude comprar ainda. Mas vou! E recomendo que todos façam. Esse mangá é uma leitura obrigatória na vida de qualquer pessoa, sem exagero. A história é um soco de realidade dos fortes, algo que te fará refletir muito e agregar bastante para a sua vida. Se tiver a oportunidade, compre! Espere um tempinho até sair desconto na Amazon se for preciso, mas não deixe de comprar.

Erased

Autor: Sanbe Kei
Editora: JBC
Preço: R$ 23,90
Papel: Lux Cream
Periodicidade: Não definida
Volumes Publicados: 03 (Brasil) 09 (Japão) – concluído no Japão
Revista: Young Ace (Kadokawa Shoten)
Demografia e Gêneros: Drama, Mistério, Psicológico, Romance, Seinen, Sobrenatural, Vida Escolar
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: Nada de bom acontece na vida de Satoru Fujinuma, por isso ele vive sem muito entusiasmo. Mesmo o misterioso fenômeno que o faz voltar no tempo consegue alterar isso. Porém, um dia, tudo muda… Um grande incidente faz a vida do jovem virar de cabeça para baixo. A morte da colega de classe, uma série de sequestros e assassinatos, o amigo que não conseguiu salvar, o verdadeiro criminoso… Em direção ao momento do incidente do passado, o agora do jovem começa a andar!

Eu adoro Boku Dake. Fiquei bem feliz com o anúncio da JBC da sua publicação. Eu já conhecia o mangá desde a época do seu primeiro capítulo publicado no Japão. Acabei descobrindo a obra por coincidência e me apaixonei por ela. Boku Dake também teve uma adaptação para anime, condensando os 10 volumes em apenas 12 ou 13 episódios. O ep. 1 adaptou o volume 1 inteiro! Sim, o anime é bem corrido, mas ainda assim muito bom. O mangá possui bastante diálogo, mas a leitura é bem fluida. O primeiro grande arco da série é maravilhoso e vai te prender loucamente por conta do mistério e da condução da narrativa. O meu grande problema com a obra é o final, que eu acho bem fraco e até irritante perto de tudo tão ótimo que o mangá trabalhou antes. Vale ressaltar que o fim no anime foi ultra resumido! Obviamente que é apenas a minha opinião, talvez alguém possa ter gostado, apesar de eu achar difícil, hehe. Mas mesmo com final assim, vale a pena? Vale. E muito. A experiência toda que a obra traz é muito boa, frenética, empolgante e angustiante. Os personagens também são bem interessantes. Se eu tivesse conseguido comprar o mangá, com certeza estaria no meu Top 10.

Guardiões do Louvre

Autor: Jiro Taniguchi
Editora: Pipoca & Nanquim
Preço: R$ 59,90
Papel: Couchê 150g
Volumes Publicados: 01 (Brasil) 01 (Japão) – concluído
Revista: Big Comic Original (Shogakukan)
Demografia e Gêneros: Seinen, Slice of Life, Sobrenatural
Onde encontrar: Amazon

Sinopse: O aclamado mangaká Jiro Taniguchi o convida a conhecer o Museu do Louvre de uma maneira inesquecível. Depois de uma excursão pela Europa, um artista japonês faz uma parada em Paris sozinho, com a intenção de visitar os museus da cidade. Mas, acamado em seu hotel devido a febre, ele enfrenta o sofrimento da solidão absoluta em uma terra estrangeira, privado de qualquer recurso ou apoio familiar. Quando a febre baixa um pouco, ele inicia seus passeios e logo se perde nos monumentais salões do Louvre. Lá, descobre muitas facetas do mundo das artes, em uma jornada que oscila entre alucinações febris e realidade. Ele se vê conversando com pintores famosos de diversos períodos da história, sempre guiado pelos… Guardiões do Louvre.

Primeiro mangá do Pipoca & Nanquim, a minha editora favorita!! Eu tô muito curioso pra ler Guardiões do Louvre, parece ser uma experiência muito interessante. Infelizmente ainda não consegui comprar, mas com certeza irei. Esse mangá é só elogios em todos os lugares, com um enredo bastante envolvente, muito imersivo pela forma da narrativa e com uma arte linda e toda colorida. Parece ser algo bastante poético a leitura desse mangá. Sem falar que nos apresenta apenas o maior museu do mundo, o Louvre, na França. E não deixando de mencionar que é um título feito pelo mestre Jiro Taniguchi, renomado em vários países, não só no Japão. A edição nacional está impecável, como todas as publicações do Pipoca & Nanquim. E uma curiosidade legal é que Guadiões do Louvre tem o maior tamanho em dimensões entre todos os mangás que saíram no Brasil. Uma edição realmente especial na coleção de qualquer um.

Esses foram os lançamentos de 2018 que eu li e que tenho interesse de comprar. Lembrando que o meu Top 10 é baseado unicamente nas minhas opiniões e gostos pessoais. E pra vocês, quais seriam o Top 10 de 2018 que montariam? Eu achei o ano passado cheio de ótimos lançamentos, mesmo que tenha sido um ano com menos lançamentos desde muito tempo. Espero que tenham gostado do post e encontrado títulos interessantes pra comprar. Até a próxima!! 😀

facebook_gekkou_gear!!

Curta nossa página no Facebook!

twitter_gekkou_gear!!

Siga-nos no Twitter!

Feed_gekkou_gear

Assine o nosso Feed!

Ask_gekkou_gear

Nos acompanhe no Ask!

To_LOVE

Recruta-se!

hayate2co8pw9

Att, Gekkou Hayate

8 comentários em “Top 10 melhores mangás lançados no Brasil em 2018

  1. Quem dera eu ter tanto dinheiro para sustentar mangas, saudades dos preços de 10.90 e 7.90 ;-; kkkk Curti mt os post , achei interessante o tekkon kinkreet e Ayako. E ctz vou comprar oyasumi punpun, yakusoku neverland, uzumaki, i am hero, made abyss quando tiver oportunidade

    Curtido por 1 pessoa

    • Eram bons tempos. Quero só ver quando o Brasil melhorar das pernas se as editoras vão diminuir os preços. Todos os que tu citou valem muito a pena, quando puder compra mesmo. Nem que seja o volume #1 antes vire raridade e uma fortuna.

      Curtir

  2. A coleção tsuru, apesar das capas lindas, não fez uma boa edição dos textos. Uzumaki é bom demais. A edição de JoJo’s ficou linda. Yakusoku no neverland tem boa história, mas falta grana pra eu comprar, rs. Children of the sea me encantou enormemente, No meu top tem uma posição muito boa.

    Ps.: Tô muito feliz com o retorno do blog. Cliquei por acaso quando passeava pelos meus favoritos.Torcendo para que perdure.

    Curtido por 1 pessoa

    • Muito obrigado, Zeny!! Fico bem feliz de saber que tu gosta do GG. No momento estou com mais de 10 posts quase prontos em rascunho e fazendo o guia da temporada de animes de outubro. Se tudo der certo, devemos ter mais posts, sim, haha.

      Pois é, a coleção tsuru tem vários erros de revisão nos textos. Uma vez ou outra tudo bem, mas acho que tem erros gramaticais que a gnt percebe que é pura falta atenção mesmo em vários mangás e várias vezes num msm título. Não comprei ainda os últimos lançamentos da coleção, mas espero e torço pra que melhorem cada vez mais com o tempo.

      Hoje em dia é tudo muito caro pela quantidade de títulos que tem em banca. Dá pra entender os valores em alguns mangás pelo contexto todo, mas como são tantos no mercado fica difícil de comprar e acaba sendo caro mesmo. Eu só compro na Amazon e sempre esperando promoções. Uma boa dica de títulos que a gnt sabe que são maravilhosos e que pretendemos pegar um dia: comprar os volumes 1 e 2 pra não correr riscos de sumir e nunca mais achar, haha. Isso vale basicamente pros mangás da Panini, mas vale a pena até pra outras editoras. Children melhoraria muito a posição no meu ranking se eu tivesse lido ele todo, na época que eu fiz o post não tinha lido ele inteiro ainda. Bem legal quando saem mangás inesperados assim por aqui. A Panini faz muito isso desde sempre. Um que eu gosto demais e que saiu do nada anos atrás é Astral Project. 4 volumes ao todo, bem interessante. Fik dik caso ache em algum lugar se der sorte.

      Curtido por 1 pessoa

    • E aí, seu viadão!! Continua com esse msm avatar de Terra Formars desde os tempos de scan kkkkk. Entra no Discord do GG que tem link aqui no site que pego teu contato lá e te ponho no grupo da staff o/

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s